Investimento para impacto

O investimento para impacto (venture philanthropy) é uma abordagem de investimento social que prioriza o impacto social e ambiental sobre o retorno financeiro. Ele está posicionado entre a filantropia tradicional e o investimento de impacto, já que visa gerar mudanças sistêmicas, é estratégico na forma como utiliza os recursos financeiros e humanos e adota processos e práticas do setor financeiro para provocar essas mudanças.

Latimpacto

Essa abordagem de investimento visa canalizar capital de risco (venture capital) , na forma de doações e/ou investimentos pacientes, para o aumento da escala de ideias inovadoras que tenham impacto socioambiental.

Por isso, desempenha um papel importante no fortalecimento das organizações com propósito social (OPS): empreendimentos sociais – em suas etapas iniciais – e organizações sem fins lucrativos que, devido às próprias causas que promovem, não geram retornos financeiros.

O investimento para impacto não pretende substituir outras abordagens de investimento social. Pelo contrário, o intuito é trabalhar junto com essas outras abordagens para identificar e desenvolver soluções inovadoras que rapidamente possam ser escaladas e replicadas por outro tipo de investidor, como instituições do setor financeiro, fundos de investimento de impacto ou investidores tradicionais que visam retorno financeiro.

O investimento para impacto aposta na integração do contínuo de capital: provedores de recursos econômicos, indo da filantropia ao investimento tradicional, que se diferenciam pelas suas expectativas de impacto, retorno e risco.

O contínuo de capital

Grafica 1

É importante esclarecer que o investimento para impacto pode ser aplicado por diferentes atores do ecossistema de investimento social, como fundações, empresas, investidores, family offices, consultorias, instituições acadêmicas e até atores do setor público.

Os casos selecionados e analisados neste estudo oferecem um olhar sobre como o investimento para impacto é utilizado por essa variedade de atores.

É importante notar que o investimento para impacto também está associado à adoção de melhores práticas dos fundos de capital de risco. Essas práticas incluem:

Apoio não financeiro

Assim como os fundos de capital de risco mantêm seus investimentos em média por seis anos e participam ativamente do conselho diretivo das empresas onde investem, os investidores para impacto fazem o acompanhamento dos empreendedores e das organizações sociais para promover a sua sustentabilidade financeira, garantir um maior impacto e fortalecer suas habilidades e competências, visando melhorar aspectos como marketing, governança, gestão, desenvolvimento de uma teoria da mudança etc. Ou seja, o foco está no desenvolvimento e na consolidação da organização e não apenas em um programa. Os investidores para impacto participam ativamente da iniciativa apoiada para superar o desafio social e trabalham para dar continuidade às organizações, fortalecendo suas capacidades, especialmente as de resiliência, e buscando atrair outros doadores ou investidores. Para os investidores para impacto, está claro que seu apoio é de longo prazo, porém, sempre têm em mente, desde o início da intervenção, uma estratégia de saída para que a organização ou o empreendimento possa ter vida própria e sustentabilidade após o término do apoio.

Financiamento personalizado

O investidor para impacto conhece bem as necessidades e habilidades de cada organização ou empreendimento investido e ajusta os instrumentos financeiros fornecidos para adequá-los a cada caso. Também leva em conta o nível de desenvolvimento da organização e suas necessidades, bem como suas próprias expectativas de risco. Além das doações, esses instrumentos incluem dívida, capital acionário e mecanismos mais inovadores, como doações reembolsáveis, garantias, contratos baseados em resultados e dívida subordinada, entre outros. A seleção e utilização do instrumento financeiro visa otimizar recursos e impacto.

Gerenciamento e medição de impacto

Como mencionado acima, os investidores para impacto priorizam a geração de mudanças positivas na sociedade. Isso requer o uso de indicadores de medição claros e personalizados, bem como ferramentas para o monitoramento do impacto. Algumas dessas ferramentas incluem: 1) pesquisas realizadas com os beneficiários diretos (abordagem promovida pela Acumen), 2) avaliações definidas em conjunto com as organizações beneficiárias para maximizar o impacto social, 3) também, em alguns casos, métricas padronizadas como as IRIS+ o GIIRS, e 4) outros modelos que integrem o impacto financeiro, social e ambiental. A incorporação de princípios de gestão e medição também permite a coleta de dados para refinar sistematicamente as estratégias de impacto e tomar decisões mais bem informadas e de acompanhamento mais estratégico para as entidades apoiadas.

É importante que este estudo e cada um dos casos selecionados nos permitam aprofundar ainda mais esse conceito, suas práticas e elementos, a fim de evidenciar o valor que o investimento para impacto pode ter para a região, na busca por melhores condições sociais e ambientais para seus cidadãos.


Inscreva-se para receber o relatório completo e os casos estudados